Starbucks paga propinas aos trabalhadores

A oferta é válida apenas para os cursos ministrados online pela Universidade do Estado do Arizona, nos EUA.

A Starbucks vai oferecer o pagamento das propinas aos trabalhadores do Reino Unido que desejem obter um diploma de uma universidade dos EUA. De acordo com a BBC, o custo dos cursos online ministrados pela Universidade do Estado do Arizona será suportado pela cadeia norte-americana.

Segundo a mesma fonte, a Starbucks já disponibilizava uma oferta semelhante para os seus trabalhadores dos EUA, onde registou uma adesão de 18 mil pessoas.

No Reino Unido, o programa começa com a abertura de 100 lugares, com a promessa de se expandir, se houver interessados.

A oferta é válida apenas enquanto os funcionários se mantiverem vinculados à empresa, estando disponível para os trabalhadores de todos os níveis, desde que trabalhem na empresa há pelo menos três meses e não tenham um diploma de ensino superior.

Os estudos serão realizados em regime de part-time, a partir de outubro desde ano, em cerca de 40 áreas diferentes, que incluem economia, tecnologias da informação, ciências políticas e contabilidade.

Nos EUA, onde o programa foi lançado em 2014, há neste momento 2400 pessoas a receber formação superior suportada pela empresa norte-americana.

Citado pela BBC, um porta-voz da empresa contou que os funcionários referiram dificuldades financeiras para conseguir obter um diploma universitário. Além disso, esta é vista como uma estratégia para atrair e fixar trabalhadores na Starbucks, depois de surgirem indicações de que haveria dificuldades de recrutamento após o Brexit.

Exclusivos