Springsteen critica tratamento "desumano" na fronteira com o México

No espetáculo "Springsteen on Broadway", o músico manifestou-se contra a política de imigração de Donald Trump

"Desumano". É assim que Bruce Springsteen olha para o que está acontecer na fronteira dos EUA com o México, onde, em apenas seis meses, duas mil crianças foram separadas dos pais. No espetáculo "Springsteen on Broadway", o músico norte-americano fez questão de alterar o repertório para manifestar-se contra a política de imigração do presidente dos EUA, Donald Trump.

"Durante 146 espetáculos toquei praticamente a mesma coisa todas as noites. Esta noite exigia algo diferente", disse Springsteen, citado pelo The Guardian, durante o espetáculo de terça-feira.

No palco do teatro Walter Kerr, em Nova Iorque, o músico norte-americano deu voz ao tema "The Ghost of Tom Joad". A forma do Springsteen condenar a política de imigração foi através desta canção, que gravou em 1995, inspirada na personagem do clássico de John Steinbeck, "As Vinhas da Ira", que relata as desigualdades sociais através da história de uma família pobre durante a Grande Depressão de 1929.

Springsteen, recorde-se, atuou na festa de despedida do antigo presidente dos EUA, Barack Obama, e apoiou a candidatura democrata de Hillary Clinton à Casa Branca.

Ler mais

Exclusivos