Sobe para sete número de mortes devido a tempestade na Europa

A tempestade Herwart provocou três mortes na Alemanha, duas na República Checa e outras tantas na Polónia

O número de mortes provocadas pela passagem, este domingo, da tempestade Herwart pela Europa central, que causou cortes de eletricidade e perturbou a circulação rodoviária e ferroviária, subiu de cinco para sete.

Na Alemanha, a polícia reviu esta segunda-feira em alta o balanço para três mortes, com a mais recente a dizer respeito a um homem de 56 anos, que sucumbiu aos ferimentos sofridos na sequência de um naufrágio, indicou um porta-voz da polícia à agência de notícias France-Presse.

Uma mulher de 48 anos morreu no mesmo acidente, enquanto um outro passageiro, de 48 anos, continua desaparecido.

A tempestade fez ainda duas vítimas na República Checa e outras tantas na Polónia.

As ligações de comboio em vários estados do norte da Alemanha foram canceladas no domingo, o mesmo acontecendo em Viena, na Áustria.

Em Hamburgo, no norte da Alemanha, o rio Elba inundou várias ruas.

A tempestade Herwart segue-se à Xavier, que há três semanas fustigou o noroeste da Alemanha e provocou a morte de sete pessoas. A mesma tempestade provocou duas mortes na vizinha Polónia.

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.