Sobe para 75 número de mortos no Vietname

Pelo menos 75 pessoas morreram e 28 estão desaparecidas devido a inundações e aluimentos de terras, causados por fortes chuvas no norte do Vietname, informaram hoje fontes oficiais.

A Autoridade de Gestão de Desastres vietnamita indicou que as inundações também causaram 38 feridos nas províncias de Thai Binh, Hoa Binh, Nghe An, Thanh Hoa, Ha Tinh, Son La e Yen Bai.

As chuvas destruíram 249 casas, inundaram parcialmente mais de 30 mil, danificaram mais de 22 mil hectares de arrozais e mataram mais de 10 mil cabeças de gado e 300 mil aves de capoeira em zonas rurais, onde milhares de pessoas vivem do que produzem.

As autoridades procuram agora os desaparecidos e tentam reparar as infraestruturas danificadas e retirar do isolamento as povoações que ficaram incontactáveis.

O centro e norte do Vietname sofre todos os anos a ação destruidora de tufões e tempestades tropicais. Em agosto, o tufão Doksuri causou a morte de oito pessoas no centro do país.

Segundo estatísticas governamentais, as tempestades tropicais e inundações causaram 264 mortos em 2016 e danos económicos de 1.750 milhões de dólares (cerca de 1.485 milhões de euros).

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.