Sobe para 75 número de mortos no Vietname

Pelo menos 75 pessoas morreram e 28 estão desaparecidas devido a inundações e aluimentos de terras, causados por fortes chuvas no norte do Vietname, informaram hoje fontes oficiais.

A Autoridade de Gestão de Desastres vietnamita indicou que as inundações também causaram 38 feridos nas províncias de Thai Binh, Hoa Binh, Nghe An, Thanh Hoa, Ha Tinh, Son La e Yen Bai.

As chuvas destruíram 249 casas, inundaram parcialmente mais de 30 mil, danificaram mais de 22 mil hectares de arrozais e mataram mais de 10 mil cabeças de gado e 300 mil aves de capoeira em zonas rurais, onde milhares de pessoas vivem do que produzem.

As autoridades procuram agora os desaparecidos e tentam reparar as infraestruturas danificadas e retirar do isolamento as povoações que ficaram incontactáveis.

O centro e norte do Vietname sofre todos os anos a ação destruidora de tufões e tempestades tropicais. Em agosto, o tufão Doksuri causou a morte de oito pessoas no centro do país.

Segundo estatísticas governamentais, as tempestades tropicais e inundações causaram 264 mortos em 2016 e danos económicos de 1.750 milhões de dólares (cerca de 1.485 milhões de euros).

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.