48 mortos em acidente com autocarro na "curva do diabo"

O chefe da polícia na cidade de Huaral, Hernan Valdivieso, afirmou que foram contados até ao momento 48 mortos

A polícia do Peru anunciou que o número de mortos na queda de um autocarro numa ravina, no norte do país, aumentou para 48, no último balanço divulgado na terça-feira.

O autocarro, com 57 passageiros, um motorista e uma assistente, saiu na terça-feira de Huaura para Lima. O acidente ocorreu a cerca de 45 quilómetros de Lima, na estrada Pan-americana Norte, numa zona conhecida como a 'curva do diabo', sobre o oceano Pacífico.

O chefe da polícia na cidade de Huaral, Hernan Valdivieso, afirmou que foram contados até ao momento 48 mortos, tendo já sido enviados 14 corpos para a morgue desta localidade, onde ocorreu o acidente.

"Estamos agora a retirar dez de uma ravina com 200 metros. Doze corpos encontram-se em local seguro e os 12 restantes ainda estão no interior do autocarro", disse à RPP Noticias.

Os serviços de socorro peruanos trabalharam todo o dia no resgate dos sobreviventes e na localização das vítimas mortais entre os ferros retorcidos do autocarro e antes de que a maré cubra o veículo.

O chefe de informações dos bombeiros, o comandante Lewis Mejia, explicou que 12 corpos "foram colocados numa zona segura" e deverão ser retirados do local, quando a operação for retomada.

A diretora do Hospital Alcides Carrión del Callao, María Elena Aguilar, disse que os quatro feridos hospitalizados na unidade apresentam múltiplas fraturas, e esperam ser operados nas próximas horas. Um quinto sobrevivente foi internado no hospital Sabogal e um sexto encontra-se num centro médico de Chancay.

Exclusivos

Premium

Líderes europeus

As divisões da Europa 30 anos após o fim da Cortina de Ferro

Angela Merkel reuniu-se com Viktor Orbán, Emmanuel Macron com Vladimir Putin. Nos próximos dias, um e outro receberão Boris Johnson. E Matteo Salvini tenta assalto ao poder, enquanto alimenta a crise do navio da ONG Open Arms, com 107 migrantes a bordo, com a Espanha de Pedro Sánchez. No meio disto tudo prepara-se a cimeira do G7 em Biarritz. E assinala-se os 30 anos do princípio do fim da Cortina de Ferro.