Moscovo acusa Londres de tentar confrontação internacional

Chefe da diplomacia russa disse que autoridades britânicas "estão a forçar os seus aliados" a tomar medidas que visam a confrontação com Moscovo.

O chefe da diplomacia russa, Serguei Lavrov, acusou hoje o governo de Londres de estar a arrastar os aliados do Reino Unido para "uma confrontação" com a Rússia referindo-se à decisão da União Europeia sobre o caso Skripal.

Na sequência do caso sobre o ataque químico contra o ex-espião russo Serguei Skripal e da filha, no Reino Unido, o embaixador da Rússia junto da União Europeia foi convocado a prestar explicações.

Lavrov, em declarações à agência russa RIA Novosti em Hanoi, no Vietname, disse que as autoridades britânicas "estão a forçar os seus aliados" a tomar medidas que visam a confrontação com Moscovo.

Alguns Estados membros da União Europeia estão a equacionar a hipótese de expulsar diplomatas russos, após o envenenamento do ex-espião, de acordo com um responsável europeu em Bruxelas.

"Alguns membros estão a considerar possíveis expulsões de diplomatas russos ou chamar os seus próprios diplomatas", declarou o responsável, a coberto do anonimato, no final do primeiro dia de uma cimeira europeia em que os 28 acusaram a Rússia de estar "muito provavelmente" por detrás do envenenamento de Sergueï Skripal e da filha, a 04 de março, em Salisbury, no sudoeste de Inglaterra, e decidiram chamar o embaixador da UE na Rússia para "consultas".

Ler mais

Exclusivos