Sismo sentido em todo o país. Vídeos mostram poder do abalo

O terramoto de forte intensidade que hoje abalou o país provocou um tsunami

O sismo de forte intensidade hoje sentido na Nova Zelândia, inicialmente classificado como de magnitude 7,4 e depois revisto para 7,8, foi sentido em todo o país, lançando o pânico entre as populações, que saíram para a rua a chorar. Até ao momento não há registo de vítimas, apenas de ferimentos ligeiros e de danos materiais, além de cortes de energia e do serviço telefónico em muitas partes do país.

Numa breve mensagem no Twiter, o primeiro-ministro, John Key, escreveu: "Espero que todos estejam a salvo após o sismo desta noite".

Os neozelandeses partilharam nas redes sociais imagens que mostram o poder do terramoto.

O tremor de terra, que foi superficial, ocorreu 90 quilómetros a norte da cidade de Christchurch, na Ilha do Sul, onde um outro sismo de magnitude 6,3 matou 185 pessoas em 2011.

O sismo ocorreu às 00:02 (11:02 de hoje em Lisboa) e foi seguido de um alerta de tsunami.

Ao primeiro tremor seguiu-se uma série de fortes réplica, algumas com magnitude de 6,1, e há notícia de edifícios danificados na cidade rural de Cheviot, perto do epicentro.

A Nova Zelândia fica situada no "Círculo de Fogo do Pacífico" um arco de falhas sísmicas no Oceano Pacífico, onde são comuns os tremores de terra.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Começar pelas portagens no centro nas cidades

É fácil falar a favor dos "pobres", difícil é mudar os nossos hábitos. Os cidadãos das grandes cidades têm na mão ferramentas simples para mudar este sistema, mas não as usam. Vejamos a seguinte conta: cada euro que um português coloca num transporte público vale por dois. Esse euro diminui o astronómico défice das empresas de transporte público. Esse mesmo euro fica em Portugal e não vai direto para a Arábia Saudita, Rússia ou outro produtor de petróleo - quase todos eles cleptodemocracias.