Sismo de 6,2 a sul de Timor

Epicentro foi registado 98 quilómetros a sudeste de Kupang, na província indonésia de Nusa Tenggara Oriental

Um sismo de 6,2 abalou esta terça-feira o mar de Timor, a sul da ilha, sem que tenha sido feito um alerta de tsunami, segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos, que regista a atividade sísmica em todo mundo.

A entidade localizou o epicentro a 98 quilómetros a sudeste de Kupang, capital da província indonésia de Nusa Tenggara Oriental.

A povoação mais próxima do sismo é Habo, situada a cerca de 71 quilómetros do epicentro.

Pelo menos 557 pessoas morreram e quase 400 mil ficaram desalojados em quatro sismos de magnitudes compreendidas entre os 6,3 e 6,9 que afetaram a ilha indonésia de Lombok entre 29 de julho e 19 de agosto.

A Indonésia assenta sobre o chamado Anel do Fogo do Pacífico, uma zona de grande atividade sísmica e vulcânica, registando-se todos os anos cerca de 7.000 sismos, a maioria moderados.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.