Uma criança morta horas após o início da trégua

Registados bombardeamentos na localidade de Jisrine que feriram ainda outros sete civis

Uma criança morreu hoje em bombardeamentos em Ghouta oriental, enclave rebelde perto da capital síria, Damasco, algumas horas após o início de uma trégua humanitária decretada por Moscovo, indicou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

"Trata-se do primeiro civil morto desde a entrada em vigor da trégua", declarou o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahmane, precisando que a criança foi morta na localidade de Jisrine, onde "se registaram pelo menos quatro tiros de artilharia" que feriram ainda sete civis.

Segundo o observatório, os disparos foram efetuados por forças leais ao governo de Bashar al-Assad.

Além disso, aviões não identificados bombardearam Arbin, Kafr Batna e al-Iftiris, enquanto dois helicópteros das tropas governamentais lançaram dois barris de explosivos contra al-Shifunia, sem que haja informações de mortos ou feridos.

O observatório refere ainda um ferido por fogo de artilharia governamental em Mesraba.

Estas são as primeiras vítimas documentadas desde a entrada em vigor às 09:00 locais (07:00 em Lisboa) de uma "pausa humanitária", que será de cinco horas diárias, anunciada na segunda-feira pela Rússia.

O enclave de Ghouta oriental tem sido alvo de intensos ataques por parte das forças governamentais desde 18 de fevereiro, que já causaram 568 mortos, entre os quais 141 crianças, segundo o OSDH.

Ler mais