Segurança apertada e ansiedade na véspera de cimeira histórica Trump-Kim

Há cerca de 3000 repórteres, vindos de todo o mundo, em Singapura, à espera da mais histórica cimeira dos últimos anos. José Carlos Matias é o enviado especial DN/ TSF/ Plataforma Macau no local.

Ao longo do dia de hoje e da noite de amanhã poderá seguir os últimos acontecimentos, as cenas de bastidores e a visão portuguesa no local. Para já o ambiente é de grande expectativa, entre observadores e os jornalistas, como conta o José Carlos Matias no vídeo.

Nas ruas, a segurança é apertado nas zonas em torno dos hotéis de luxo onde estão alojadas as delegações, com constrangimentos ao trânsito no centro da cidade. Mais difícil é o acesso à ilha de Sentosa, localizada a sul da cidade de Singapura, onde amanhã vai ter lugar a cimeira entre Trump e Kim.

A cidade-estado foi esta manhã palco de uma intensa atividade diplomática com vários encontros de preparação da Cimeira entre o presidente norte-americano Donald Trump e o líder da Coreia do Norte Kim Jong-un. Diplomatas dos dois países têm estado reunidos, enquanto Trump foi ao encontro do anfitrião desta cimeira, o primeiro-ministro de Singapura Lee Hsien Loong, com quem Kim já tinha estado ontem, logo após aterrar em Singapura.

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.