Seehofer não aceita ser despedido por Merkel

O ministro do Interior alemão reúne-se hoje pela segunda vez com a chanceler, mas continua a dar sinais de quem não está disposto a ceder.

"Não vou ser despedido pela chanceler que só é chanceler graças a mim", afirmou Horst Seehofer ao Süddeutsche Zeitung. O ministro do Interior e líder da CSU (União Social-Cristã), partido irmão da CDU (União Democrata-Cristã) da Baviera, mantém o braço-de-ferro com a chefe do governo alemão, Angela Merkel.


Ontem terá posto os cargos a que preside à disposição, depois de ter acusado Angela Merkel de não ter cumprido as expectativas da CSU sobre a política de controlo de fronteiras no Conselho Europeu.

Hoje à tarde reuniu-se uma primeira vez com Angela Merkel e o presidente do Parlamento, Wolfgang Schäuble, antes de um encontro entre os principais dirigentes dos dois partidos.

O SPD, parceiro da grande coligação, pediu uma sessão parlamentar com caráter de urgência para terça-feira de manhã.

Ler mais

Exclusivos

Premium

DN Life

DN Life. «Não se trata o cancro ou as bactérias só com a mente. Eles estão a borrifar-se para o placebo»

O efeito placebo continua a gerar discussão entre a comunidade científica e médica. Um novo estudo sugere que há traços de personalidade mais suscetíveis de reagir com sucesso ao referido efeito. O reumatologista José António Pereira da Silva discorda da necessidade de definir personalidades favoráveis ao placebo e vai mais longe ao afirmar que "não há qualquer hipótese ética de usar o efeito placebo abertamente".