Sarkozy votará em Macron. Mélenchon não anuncia intenção de voto

O ex-presidente francês anunciou que prefere o centrista à candidata da extrema-direita. Já o candidato da esquerda radical que ficou em quarto lugar na primeira volta das presidenciais francesas, manterá silêncio

Emmanuel Macron conseguiu hoje o apoio público do ex-presidente francês Nicolas Sarkozy. O candidato centrista, que disputará a segunda volta das presidenciais francesas contra Marine Le Pen, já tinha obtido o apoio do atual presidente François Hollande. Jean-Luc Mélenchon, que ficou em quarto na primeira volta, é que não revela em quem votará.

Numa mensagem publicada no Facebook, Sarkozy - que apoiou François Fillon, do partido republicano, que ficou na terceira posição, depois de ter perdido as primárias - considera que o resultado da primeira volta, no domingo passado, foi um "sismo político". "Lamento profundamente este resultado mas a escolha dos franceses é soberana e deve ser aceite como tal", escreve o ex-presidente.

Sarkozy defende que uma eleição de Marine Le Pen teria "consequências muito graves" para o país, pelo que votará em Emmanuel Macron. "É uma escolha responsável e de modo algum um apoio ao seu projeto", repara, lembrando que as legislativas de junho serão uma nova oportunidade.

Jean-Luc Mélenchon não apoiará publicamente nenhum dos dois candidatos que irão disputar a segunda volta das presidenciais francesas. O diretor de campanha do quarto classificado na segunda volta reafirmou hoje que este não dirá se votará em Emmanuel Macron ou em Marine Le Pen.

"Não, Jean-Luc Mélenchon não dirá em quem vai votar na segunda volta", disse Manuel Bompard em conferência de imprensa.

Este responsável considerou que o apelo da candidata de extrema-direita aos eleitores que votaram em Mélenchon é uma "astúcia". "Nós que lutamos contra a Frente Nacional sabemos que eles têm um discurso enganador. Marine Le Pen e a Frente Nacional usam esta estratégia de desorientação para tentar ganhar votos", disse, realçando: "Nós não temos nada a ver com eles".

Ler mais

Exclusivos