Salvini desafia "hipócrita presidente francês" a abrir fronteiras

"É esta a Europa solidária e que acolhe de que fala Macron e os benfeitores?"

O ministro do Interior italiano acusou esta quinta-feira o presidente francês, Emmanuel Macron, de querer dar lições de solidariedade a Itália ao mesmo tempo que recusa migrantes.

"Desde o início de 2017 até hoje, a França do bom Macron recusou mais de 48.000 imigrantes na fronteira com Itália, incluindo mulheres e crianças", criticou Matteo Salvini nas redes sociais.

O político italiano acrescentou: "É esta a Europa solidária e que acolhe de que fala Macron e os benfeitores? Antes de dar lições aos outros, convidaria o hipócrita presidente francês a reabrir as suas fronteiras e acolher os milhares de refugiados que prometeu receber".

Segundo um documento enviado por fontes do ministério do Interior, desde o início do ano foram recusados na fronteira 6.561 imigrantes com documentos de residência válidos em Itália e outros 10.915 estrangeiros sem documentos.

Organizações humanitárias têm denunciado em várias ocasiões as "múltiplas violações de direitos" que sofrem os imigrantes na fronteira de Ventimiglia, em Itália, ao serem recusados pelas autoridades francesas.

Macron respondeu na quarta-feira ao primeiro-ministro húngaro, Viktor Orban, e a Salvini, que se reuniram em Milão, que "têm razão" ao considerá-lo o seu "principal opositor" na Europa, em matéria de migração.

"Neste momento, na União Europeia, há dois blocos, um liderado por Macron (...), que é o chefe dos partidos que apoiam a imigração, e do outro lado estamos nós, que queremos travar a imigração ilegal. Esta é a situação atual", disse Orban numa conferência de imprensa conjunta realizada após o encontro.

Ler mais