Trump entrega diplomacia americana a CEO da Exxon e próximo de Putin

Presidente eleito confirmou em comunicado o que os media americanos já vinham a anunciar: que escolheu Rex Tillerson, patrão da petrolífera Exxon Mobil, para secretário de Estado. Ignorando as críticas à proximidade deste com o presidente russo

"A carreira de Rex Tillerson é a realização do sonho americano. Através de trabalho árduo, dedicação e negócios inteligentes, Rex subiu nas fileiras da Exxon Mobil até chegar a CEO, numa das maiores e mais respeitadas empresas do mundo", afirmou Donald Trump em comunicado.

O presidente eleito dos EUA sublinhou a "tenacidade e profundo entendimento da geopolítica" no homem que escolheu para chefiar a diplomacia americana.

O nome de Tillerson já vinha sendo adiantado pelos media americanos, sobretudo depois de o ex-governador e ex-candidato presidencial Mitt Romney ter dito na segunda-feira que estava fora da corrida ao Departamento de Estado.

Trump reuniu-se com Tillerson em Nova Iorque no sábado. E na segunda, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, elogiou o CEO da Exxon, que tem laços estreitos com a Rússia, inclusive com o presidente Vladimir Putin.

À frente da petrolífera desde 2006, o texano de 64 anos esteve com Putin "várias vezes", tendo recebido do chefe do Estado russo a Ordem da Amizade, em 2013.

Esta relação próxima foi escrutinada pelos media, com o New York Times a recordar que a Exxon tem negócios de milhares de milhões de dólares com a Rússia que só podem avançar se forem levantadas as sanções impostas ao país depois da anexação da Crimeia e do conflito no Leste da Ucrânia.

Ler mais