Encontro Barroso e Katainen é "não assunto"

Na polémica reunião, tornada pública, foram abordadas questões de mercado e de defesa.

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, classificou hoje como um "não assunto" a polémica em torno de uma reunião entre Durão Barroso e o comissário Jyrki Katainen.

"Isto é um não assunto", disse Juncker, questionado sobre a reunião durante uma conferência de imprensa.

Para o presidente do executivo comunitário, "a reunião respeitou na íntegra as regras existentes na comissão, nunca dissemos que José Manuel Barroso não podia encontrar-se com comissários".

A reunião foi tornada pública, em linha com as regras existentes

O vice-presidente da Comissão Europeia Jyrki Katainen confirmou ter-se reunido em outubro passado com Durão Barroso, em representação da Goldman Sachs, reavivando a polémica sobre a ida do antigo presidente do executivo comunitário para o banco de investimento norte-americano.

Jyrki Katainen inscreveu a reunião no dia seguinte a esta ter acontecido no livro de registo de transparência.

No encontro com Durão Barroso foram abordadas questões de mercado e de defesa.

O banco garantiu, em comunicado, que Durão Barroso sempre se recusou a representar o banco de investimento junto de responsáveis da União Europeia (UE), salientando que quaisquer encontros ocorridos são do foro pessoal.

A contratação de Durão Barroso, em 2016, pelo banco norte-americano foi muito contestada pelo fato de este ter estado dez anos à frente do executivo europeu (2004-2014), mas a comissão de ética - ainda que tenha classificado a opção do ex-presidente como "pouco sensata" considerou que não violava as regras em vigor.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Tempo de fugir de casa para regressar à terra

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.