Governo húngaro diz que Martin Schulz é a "voz que recorda a de Hitler"

"Desde Adolf Hitler que a Europa central não recebia um ultimato como este", denuncia o chefe do gabinete do primeiro-ministro Viktor Orban, Janos Lazar

O Governo húngaro comparou hoje com as ideias de Adolf Hitler a sugestão do líder social-democrata alemão sobre a exclusão da União europeia (UE) dos países que não pretendam participar no projeto federal dos "Estados Unidos da Europa".

Janos Lazar, chefe de gabinete do primeiro-ministro Viktor Orban, advertiu que a Hungria não pretende prescindir de nenhum dos poderes nacionais que atualmente mantém no âmbito da legislação da UE em vigor, numa resposta ao líder social-democrata alemão, Martin Schulz.

"Desde Adolf Hitler que a Europa central não recebia um ultimato como este", denunciou.

Em paralelo, Laszlo Surjan, um antigo vice-presidente húngaro do Parlamento europeu, definiu como "inaceitável" a agressividade de Schulz, acrescentando "ser a voz que recorda a de Adolf Hitler".

A Hungria foi aliada da Alemanha no decurso da Segunda Guerra Mundial, mas Hitler invadiu o país em 1944 quando Budapeste tentava um armistício com os Aliados.

Na semana passada, Schulz defendeu a ideia de avançar em direção aos "Estados Unidos da Europa" até 2025 através de um acordo constitucional e considerou que os países que não pretendam este arranjo federal devem abandonar de forma imediata a UE.

Numa referência ao futuro da União, Schulz defendeu um orçamento comum, um ministro das Finanças para a zona euro e um "quadro europeu" sobre salários, e ainda a formação "dos Estados Unidos da Europa para 2025".

Entre os temas essenciais que deverão ser abordados a nível comunitário, o líder social-democrata alemão fez referência à defesa e segurança, alterações climáticas, migração e refugiados, e a política fiscal.

Schulz e o Governo húngaro esgrimiram críticas nos últimos anos, em particular sobre o tema dos valores europeus e a questão dos refugiados e as políticas europeias de imigração.

Exclusivos

Premium

Clássico

Mais de 55 milhões de euros separam plantéis de Benfica e FC Porto

Em relação à época passada, os encarnados ultrapassaram os dragões no que diz respeito à avaliação do plantel. Bruno Lage tem à sua disposição um lote de jogadores avaliado em 310,7 milhões de euros, já Sérgio Conceição tem nas mãos um grupo que vale 255,5 milhões. Neste sábado, no Estádio da Luz, defrontam-se pela primeira vez esta temporada.