Resolução sobre Israel é um "um passo significativo"

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon encorajou os israelitas e palestinianos a retomarem o diálogo.

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, considerou "um passo significativo" a resolução do Conselho de Segurança contra os colonatos nos territórios palestinianos. Com 14 votos a favor e a abstenção dos Estados Unidos, que foi fundamental, o máximo órgão de decisões da ONU aprovou hoje uma resolução que condena a política israelita de colonatos nos territórios palestinianos.

A resolução, que foi apresentado pela Venezuela, Nova Zelândia, Malásia e Senegal, exorta Israel a "parar imediatamente e completamente toda a atividade de colonização em território palestino ocupado, incluindo Jerusalém Oriental."

Comentando a decisão, através de seu porta-voz, Ban Ki-moon disse que a adoção da resolução é "um passo significativo" e mostra "a liderança muito necessária do conselho, e os esforços coletivos da comunidade internacional para confirmar que a visão dos Estados Unidos ainda é alcançável".

O secretário-geral da ONU "aproveita esta oportunidade para encorajar os líderes israelitas e palestinianos a trabalhar com a comunidade internacional para criar um ambiente favorável para o retorno às negociações significativas", refere na declaração.

"As Nações Unidas estão prontas para apoiar todas as partes para alcançar esse objetivo", disse Ban Ki-moon, que cessará funções no último dia do ano, sendo substituído no cargo pelo antigo primeiro-ministro português António Guterres.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).