Relâmpagos matam 67 pessoas em dois dias na Índia

Casos de pessoas atingidas por relâmpagos são relativamente comuns no país entre junho e outubro, mas o número desta semana é particularmente elevado

Pelo menos 67 pessoas morreram atingidas por relâmpagos na Índia nos últimos dois dias, informaram esta quarta-feira as autoridades de gestão de desastres, em plena época de monções no país.

Casos de pessoas atingidas por relâmpagos são relativamente comuns na Índia durante os meses de monção, entre junho e outubro, mas o número desta semana é particularmente elevado, segundo as autoridades.

Uma tempestade que atingiu o Estado de Bihar durante a noite matou pelo menos 47 pessoas e feriu 22, a maioria em zonas rurais.

"Temos a confirmação de 47 mortes e receamos que o número seja mais elevado, com cada vez mais relatos de outros distritos", disse à agência noticiosa AFP Anirudh Kumar, responsável da agência de gestão de desastres de Bihar.

As autoridades no Estado vizinho de Uttar Pradesh informaram que 20 pessoas morreram nos últimos dois dias.

Os relâmpagos matam milhares de indianos todos os anos, a maioria agricultores a trabalhar nos campos.

Mais de 2.500 pessoas morreram devido a relâmpagos em 2014, de acordo com dados oficiais.

Ler mais

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.