Grupo rebelde abate caça russo na Síria. Piloto foi morto

O Sukhoi 25 terá sido atingido na área de Idlib, no norte do país

Um caça russo foi abatido por rebeldes na Síriam, avança a agência France Press citando o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH). O piloto foi morto, indicaram o OSDH e o Ministério da Defesa russo.

O diretor do OSDH, Rami Abdel Rahmane, disse que o piloto, que tinha conseguido saltar de paraquedas, recorreu à sua arma quando estava a ser capturado e foi abatido. Segundo o Ministério da Defesa russo, citado por agências noticiosas russas, o piloto de "um avião Su-25" que caiu durante o voo na zona de Idleb "teve tempo de anunciar que se tinha ejetado na zona, sob controlo dos combatentes da Frente al-Nosra" e "foi morto em combates contra os terroristas".

O Sukhoi 25 terá sido atingido na área de Idlib, no norte do país. O ministério adianta que "segundo as primeiras informações, o avião foi abatido por um sistema de mísseis antiaéreos portátil".

A região na qual o avião caiu é controlada pelo Hayat Tahrir al-Cham, grupo 'jihadista' dominado pelo ex-braço local da Al-Qaida, assim como por vários outros grupos rebeldes.

O OSDH disse que o avião terá caído perto da localidade de Saraqueb, numa zona que é alvo desde 25 de dezembro de uma ofensiva do regime de Bashar al-Assad, que conta com apoio aéreo russo.

Grupos rebeldes já abateram antes aviões do regime, mas do exército russo é muito mais raro.

Em agosto de 2016, cinco soldados russos morreram quando o helicóptero em que eram transportados foi abatido por rebeldes também na província de Idleb.

O conflito civil sírio já provocou, desde 2011, mais de 350 mil mortos, incluindo mais de 100 mil civis, e obrigou milhões a abandonarem as suas casas.

Exclusivos