Quais as ligações entre os terroristas de Bruxelas e Paris?

Conheça as linhas que interligam os jihadistas, do cabecilha dos atentados de Paris, Abdelhamid Abaaoud, aos bombistas suicidas de Bruxelas

Os ataques em Bruxelas, que mataram pelo menos 31 pessoas na terça-feira passada, foram reivindicados pelo grupo terrorista Estado Islâmico.

Já era sabido que a célula jihadista do Estado Islâmico que preparara os atentados de Paris em novembro de 2015, nos quais 130 pessoas morreram, tinha as suas raízes num bairro da capital belga, Molenbeek. Aquele que se pensava ser o último suspeito vivo de ter participado diretamente nos atentados de Paris, Salah Abdeslam, foi mesmo detido, quatro meses depois, em Bruxelas.

Leia mais abaixo sobre os principais suspeitos dos atentados de Bruxelas e as suas ligações com os jihadistas que perpetraram os atentados de Paris.

Khalid El-Bakraoui, belga, 27 anos

Fez-se explodir no metro de Bruxelas, na estação de Maelbeek, perto das instituições europeias. Em 2011, tinha sido condenado a cinco anos de prisão por carjacking.

Segundo a imprensa belga, El-Bakraoui foi quem alugou, com uma identificação falsa, o apartamento no bairro de Forest, em Bruxelas, onde a polícia matou um homem armado na semana passada ao procurar o principal suspeito dos atentados de Paris ainda vivo, Salah Abdeslam.

Ibrahim El-Bakraoui, belga, 29 anos

Fez-se explodir no aeroporto de Zaventem. Foi gravado numa câmara de segurança com dois outros homens, um dos quais se fez explodir e foi identificado como Najim Laachraoui. O outro permanece a monte, por identificar.

Ibrahim El-Bakraoui, irmão de Khalid, tinha sido detido na Turquia perto da fronteira com a Síria em junho do ano passado, tendo sido deportado para a Holanda com informação de que poderia ter ligações a grupos terroristas.

É possível que os irmãos Bakraoui tenham escapado do cerco da semana passada em Forest. Ao entrar no apartamento onde um homem foi morto, a polícia encontrou uma bandeira do Estado Islâmico e uma impressão digital de Salah Abdeslam.

Najim Laachraoui, belga, 25 anos

Foi o segundo bombista suicida no aeroporto de Zaventem, identificado nas imagens das câmaras de vigilância junto a Ibrahim, e mais tarde tendo a identidade verificada através do ADN do seu cadáver.

O ADN de Laachraoui tinha sido encontrado em casas usadas pelos atacantes de Paris no ano passado. Saiu de Bruxelas para ir para a Síria em fevereiro de 2013. A imprensa belga escreve que Laachraoui tinha treino técnico na construção de bombas. Sob o nome falso de Soufiane Kayal, Laachraoui foi filmado a partir da Hungria para a Áustria em setembro, num carro conduzido por Salah Abdeslam.

Salah Abdeslam, francês, 26 anos

Aguarda julgamento na prisão de Bruges, e era o fugitivo mais procurado da Europa até ter sido capturado na sexta-feira, em Bruxelas, após uma caça ao homem que durou quatro meses.

Nascido e criado na Bélgica, com pais marroquinos, contou a um juiz que tinha intenção de se fazer explodir no Stade de France em Paris no dia 13 de novembro, mas desistiu no último momento. Ainda não se sabe se ajudou a preparar os atentados de Bruxelas.

Abdelhamid Abaaoud, belga, 28 anos

Foi morto pela polícia francesa num tiroteio, no subúrbio parisience de Saint Denis, no dia 18 de novembro, após os atentados de dia 13.

Combateu na Síria sob o nome de Abu Omar al-Beljiki (o Belga), conseguiu evitar ser capturado num raide da polícia belga em janeiro de 2015, no qual outros dois belgas foram mortos. Gabava-se de conseguir passear entre a Síria e a Europa sem ser apanhado, e acredita-se que teve um papel nos atentados ao Museu Judeu de Bruxelas em 2014 e no ataque falhado ao comboio Thalys em agosto do ano passado.

Brahim Abdeslam, francês, 31 anos

O irmão mais velho de Salah Abdeslam fez-se explodir num café em Paris no dia 13 de novembro. Era dono de um bar gerido por Salah no bairro de Molenbeek, em Bruxelas. Foi deportado da Turquia, acusado de tentar juntar-se ao Estado Islâmico. Foi questionado quando regressou mas a polícia não viu razões para o prender.

Mohamed Abrini, belga, 30 anos

Tem ligações diretas com Salah Abdeslam e está no Top 50 dos procurados da Europol. A imprensa belga sugere que possa ser o homem fugitivo da fotografia do aeroporto de Bruxelas tirada na terça-feira, que terá abandonado a bomba sem a detonar.

Abrini foi filmado com Salah Abdeslam no dia 11 de novembro, com um carro que foi usado nos atentados de Paris. Desde esses atentados que Abrini está desaparecido. Como os irmãos Abdeslam, cresceu em Molenbeek.

Mohamed Belkaid, argelino, 35 anos

Foi morto por um atirador da polícia na semana passada, no apartamento do bairro de Forest. Acreditava-se que estava ilegalmente na Bélgica. Com uma identidade falsa, entrou na Hungria a partir da Sérvia com Abdeslam e Laachraoui, em setembro. Também foi visto, no dia 17 de novembro, em filmagens de uma câmara de segurança, juntamente com Laachraoui, a enviar dinheiro a uma prima de Abaaoud, Hasna Aitboulahcen, que morreria juntamente com este no tiroteio de Saint Denis.

Exclusivos