Progresso na investigação ao ataque em Londres faz descer nível de alerta no Reino Unido

Polícia britânica já deteve dois suspeitos do atentado na estação de Parsons Green

O Reino Unido desceu este domingo o nível de alerta, que passou da categoria máxima - "crítico" - para "severo". A medida foi anunciada pela ministra do Interior, Amber Rudd, ficando a dever-se aos "progressos" na investigação ao ataque que aconteceu sexta-feira de manhã no metro de Londres: um engenho artesanal explodiu numa carruagem e fez 30 feridos.

"No seguimento do ataque em Parsons Green na passada sexta-feira, a polícia fez bons progressos naquela que é uma investigação que continua", disse Rudd, citada pela agência Reuters.

"O Centro Conjunto de Análise de Terrorismo, que revê o nível de ameaça que enfrenta o Reino Unido, decidiu baixar o nível de crítico para severo", acrescentou a ministra.

Na noite de sexta-feira, o nível de alerta tinha sido elevado para o máximo, o que significa que as autoridades admitiam que um ataque terrorista estaria iminente. Ainda assim, no nível "severo", a probabilidade de um atentado continua a ser encarada como elevada.

Dois homens foram detidos no sábado por suspeita de envolvimento no ataque no metro de Londres, que foi reivindicado pelo Estado Islâmico através da agência de propaganda Amaq.

Polícia volta a fazer buscas este domingo

A polícia britânica está este domingo a fazer buscas numa casa em Stanwell, arredores de Londres. A operação estará ligada à detenção do segundo suspeito de envolvimento no ataque de sexta-feira. Stanwell fica a cerca de 25 quilómetros do centro de Londres e perto do aeroporto de Heathrow.

Sábado, as autoridades fizeram buscas numa residência em Sunbury-on-Thames, também nos subúrbios da capital londrina, tendo evacuado grande parte dos edifícios no quarteirão.

O segundo suspeito do ataque tem 21 anos e foi detido nos arredores de Londres, em Hounslow, pelas 23:50 de sábado, indicou a polícia em comunicado.

Também no sábado, a polícia britânica deteve ao início da manhã um homem de 18 anos na zona das partidas do porto de Dover, suspeito de envolvimento no atentado no metro da capital britânica.

À tarde, as autoridades fizeram buscas numa residência em Sunbury-on-Thames, Surrey, nos arredores de Londres: cerca de 40 casas foram temporariamente evacuadas por precaução.

Os locais afirmam que a morada que foi alvo da operação da polícia era ocupada por um casal conhecido por acolher crianças e jovens ao longo de décadas, e que terá sido mesmo distinguido com a Ordem do Império Britânico.

Ronald Jones, de 88 anos, e a mulher Penelope, de 71, foram distinguidos pelos serviços prestados às crianças e famílias. Uma amiga do casal disse à imprensa que os Jones terão acolhido ao longo dos anos mais de 300 crianças, incluindo oito refugiados, e que recentemente tiveram em casa dois jovens de 18 e 22 anos.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

  • no dn.pt
  • Mundo
Pub
Pub