Era tudo mentira. Professor admite que inventou ataque de apoiante do Daesh

O professor dissera que tinha sido agredido por um homem com um x-ato que invocava o Estado Islâmico

O professor que disse segunda-feira de manhã ter sido agredido por um apoiante do Estado Islâmico (também conhecido pelo acrónimo árabe Daesh) numa escola perto de Paris confessou ter inventado tudo, segundo anunciou a procuradoria de Paris.

O professor de jardim-de-infância dissera ter sido atacado por um homem com um x-ato e tesouras, encontrados no local, que invocava o Estado Islâmico, mas já admitiu tratar-se de uma mentira, quando foi interrogado pela polícia durante a tarde. De acordo com a procuradoria, o homem foi ainda interrogado uma segunda vez para se tentar averiguar o que o levara a inventar a história.

O caso mobilizara a polícia de Bobigny, a secção antiterrorista da brigada criminal da polícia judiciária de Paris, e mesmo a ministra da Educação de França. Tinha sido iniciada uma investigação por tentativa de assassinato relacionada com atentado terrorista, que levou ao encerramento da escola de Aubervilliers, nos arredores de Paris.

O professor de 45 anos tinha ferimentos no pescoço, tendo mesmo sido transportado para o hospital. Encontra-se fora de perigo.

O jornal francês Libération sublinha que as autoridades francesas se mostraram desde o início prudentes relativamente à hipótese de se tratar de um atentado relacionado com ideologia islâmica, não designando imediatamente o caso como um atentado terrorista.

Ler mais

Exclusivos