Príncipe herdeiro saudita comprou propriedade mais cara do mundo

Mohammad bin Salman tem defendido a austeridade em prol da luta contra a corrupção no país

O príncipe herdeiro saudita, Mohammad bin Salman, defensor da austeridade, comprou o Castelo Luís XIV, a propriedade privada mais cara do mundo, perto de Paris, por 275 milhões de euros, noticiou o jornal New York Times.

A propriedade foi vendida em setembro de 2015 por uma empresa francesa especializada em imóveis de luxo. Na altura, apenas se soube que o comprador era do Médio Oriente.

O jornal nova-iorquino, citado hoje pela agência AFP, indica que o proprietário atual é o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, que tem defendido a austeridade em prol da luta contra a corrupção no país.

Um portal francês de informação, Mediapart, avançara em julho que Mohammad bin Salman era o comprador do Castelo Luís XIV.

Construída em 2011, a propriedade foi batizada com o nome do monarca que reinou em França nos séculos XVII e XVIII, e alia a arquitetura tipo setecentista à mais recente tecnologia.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.