Principal financiador da campanha pró-Brexit pediu ajuda a Steve Bannon

Em 2015 principal financiador da campanha pró-Brexit pediu ajuda à Cambridge Analytica para angariar fundos nos EUA - o que é proibido pela lei britânica.

De acordo com emails agora divulgados, em 2015, Arron Banks, financiador da maior campanha a favor do Brexit, pediu à Cambridge Analytica o banco de dados co-fundado por Steve Bannon, para fazer um plano de angariação de fundos para o Brexit nos Estados Unidos. A ter acontecido, essa angariação foi ilegal uma vez que a lei inglesa não permite que as campanhas eleitorais usem doações de indivíduos ou empresas estrangeiros.

Segundo os emails a que a CNN e o Open Democracy tiveram acesso, o empresário britânico esteve em contacto com o presidente da Cambridge Analytica, Alexander Nix, em outubro de 2015 depois de ser apresentado a Steve Bannon, então estratega de Donald Trump.

Num email de 24 de outubro de 2015, de Banks para o seu sócio Andy Wigmore, enviado com o conhecimento de Bannon, o empresário explicava que gostaria que a Cambridge Analytica "arranjasse uma estratégia para angariação de fundos nos Estados Unidos que envolvesse empresas e grupos de interesse que pudessem ser afetados pelo TTIP" (um acordo transatlântico entre o EUA e o Reino Unido com que Bannon não concordava). Também sugeria que se procurassem "pessoas com laços familiares com o Reino Unido".

"É óbvio que os grandes doadores estão sentados em cima do muro, mas nós queremos fazer algo quanto a isso", escreveu Banks. "A nossa primeira e única prioridade é ganhar a nomeação e ficar à frente", acrescentou, referindo-se à sua intenção de transformar o movimento Leave.EU na campanha oficial da saída do Reino Unido da União Europeia.

Estes mails trazem novos dados para a investigação a Banks que está a ser realizada pela Comissão Eleitoral, no sentido de apurar se os 8 milhões de libras (quase 9 milhões de euros) que doou ao movimento Leave.EU vieram ou não de "fontes ilegais". Quando questionado na comissão parlamentar sobre a sua relação com a Cambridge Analytica, Banks confirmou que tinha feito contactos mas disse que estes foram infrutíferos. Nix e a Cambridge Analytica também afirmaram que não tinham feito qualquer serviço para a campanha Leave.Eu.

Ler mais

Exclusivos