Primeiro ataque mortal de tubarão em Cape Cod desde 1936

Jovem de 26 anos foi levado para o hospital, mas não resistiu aos ferimentos. Este ano, dispararam os avistamentos de tubarões brancos na zona

É o primeiro ataque fatal de tubarão em Massachusetts desde 1936. Um surfista de 26 anos estava a fazer bodyboard, este sábado, em Newcomb Hollow Beach, Cape Cod, quando foi atacado por um tubarão branco. Ainda foi assistido no areal, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital. "Foi como estar dentro do filme 'Tubarão", de repente estávamos em Amity Island", descreveu uma testemunha.

Michael Hurley, tenente da polícia de Wellfleet, disse que o homem, Arthur Medici, residente em Massachusetts, sucumbiu aos ferimentos após o ataque, que aconteceu cerca do meio-dia de sábado.

"As medidas de salvamento foram feitas ainda na praia", disse o porta-voz da polícia, David Procopio, através de um email citado pelo The Guardian. Por agora, as autoridades, que estão a investigar o incidente, disseram que vão manter "todas as pessoas fora de água".

Joe Booth, um pescador local e surfista, disse que viu o homem, que estava na água com um amigo, pontapear agressivamente algo que surgiu repentinamente atrás dele. Só percebeu o que tinha acontecido quando viu o amigo a arrastar o o surfista ferido pela areia.

"Eu era aquela pessoa na praia a gritar" Tubarão, tubarão! ", contou Booth. "Foi como estar dentro do filme 'Tubarão", de repente estávamos em Amity Island", descreveu. Ele, e outras pessoas que estavam no areal tentaram fazer um torniquete ao surfista ferido, enquanto outros ligaram para o 911.

É o segundo ataque no espaço de um mês

Hayley Williamson, residente em Cape Cod e ex-nadador- salvador, disse que também ele tinha estado a surfar com amigos durante a manhã. "Estavam no sítio errado à hora errada" comentou, sobre os surfistas atacados.

O mês passado, um nova-iorquino foi atacado por um tubarão branco em Cape Cod. Foi o primeiro ataque conhecido desde 2012 na mesma zona. William Lytton, um neurologista de 61 anos, sofreu lacerações profundas na perna e no tronco, mas conseguiu libertar-se ao perfurar o tubarão nas guelras. Ainda está no hospital a recuperar dos graves ferimentos.

Os cientistas alertam para o aumento do número de tubarões desta espécie que se têm estado a dirigir para as águas da baía norte-americana. Os avistamentos de tubarões brancos em Cape Cod dispararam este ano e os especialistas pensam que isso se deve ao aumento dos número de focas perto das praias da região, diz a BBC.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Henrique Burnay

A ameaça dos campeões europeus

No dia 6 de fevereiro, Margrethe Vestager, numa só decisão, fez várias coisas importantes para o futuro da Europa, mas (quase) só os jornais económicos repararam. A comissária europeia para a Concorrência, ao impedir a compra da Alstom pela Siemens, mostrou que, onde a Comissão manda, manda mais do que os Estados membros, mesmo os grandes; e, por isso mesmo, fez a Alemanha e a França dizerem que querem rever as regras do jogo; relançou o debate sobre se a Europa precisa, ou não (e em que condições), de campeões para competir na economia global; e arrasou com as suas possibilidades (se é que existiam) de vir a suceder a Jean-Claude Juncker.

Premium

Anselmo Borges

Islamofobia e cristianofobia

1. Não há dúvida de que a visita do Papa Francisco aos Emirados Árabes Unidos de 3 a 5 deste mês constituiu uma visita para a história, como aqui procurei mostrar na semana passada. O próprio Francisco caracterizou a sua viagem como "uma nova página no diálogo entre cristianismo e islão". É preciso ler e estudar o "Documento sobre a fraternidade humana", então assinado por ele e pelo grande imã de Al-Azhar. Também foi a primeira vez que um Papa celebrou missa para 150 mil cristãos na Península Arábica, berço do islão, num espaço público.

Premium

Adriano Moreira

Uma ameaça à cidadania

A conquista ocidental, que com ela procurou ocidentalizar o mundo em que agora crescem os emergentes que parecem desenhar-lhe o outono, do modelo democrático-liberal, no qual a cidadania implica o dever de votar, escolhendo entre propostas claras a que lhe parece mais adequada para servir o interesse comum, nacional e internacional, tem sofrido fragilidades que vão para além da reforma do sistema porque vão no sentido de o substituir. Não há muitas décadas, a última foi a da lembrança que deixou rasto na Segunda Guerra Mundial, pelo que a ameaça regressa a várias latitudes.