Primeiro ataque mortal de tubarão em Cape Cod desde 1936

Jovem de 26 anos foi levado para o hospital, mas não resistiu aos ferimentos. Este ano, dispararam os avistamentos de tubarões brancos na zona

É o primeiro ataque fatal de tubarão em Massachusetts desde 1936. Um surfista de 26 anos estava a fazer bodyboard, este sábado, em Newcomb Hollow Beach, Cape Cod, quando foi atacado por um tubarão branco. Ainda foi assistido no areal, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital. "Foi como estar dentro do filme 'Tubarão", de repente estávamos em Amity Island", descreveu uma testemunha.

Michael Hurley, tenente da polícia de Wellfleet, disse que o homem, Arthur Medici, residente em Massachusetts, sucumbiu aos ferimentos após o ataque, que aconteceu cerca do meio-dia de sábado.

"As medidas de salvamento foram feitas ainda na praia", disse o porta-voz da polícia, David Procopio, através de um email citado pelo The Guardian. Por agora, as autoridades, que estão a investigar o incidente, disseram que vão manter "todas as pessoas fora de água".

Joe Booth, um pescador local e surfista, disse que viu o homem, que estava na água com um amigo, pontapear agressivamente algo que surgiu repentinamente atrás dele. Só percebeu o que tinha acontecido quando viu o amigo a arrastar o o surfista ferido pela areia.

"Eu era aquela pessoa na praia a gritar" Tubarão, tubarão! ", contou Booth. "Foi como estar dentro do filme 'Tubarão", de repente estávamos em Amity Island", descreveu. Ele, e outras pessoas que estavam no areal tentaram fazer um torniquete ao surfista ferido, enquanto outros ligaram para o 911.

É o segundo ataque no espaço de um mês

Hayley Williamson, residente em Cape Cod e ex-nadador- salvador, disse que também ele tinha estado a surfar com amigos durante a manhã. "Estavam no sítio errado à hora errada" comentou, sobre os surfistas atacados.

O mês passado, um nova-iorquino foi atacado por um tubarão branco em Cape Cod. Foi o primeiro ataque conhecido desde 2012 na mesma zona. William Lytton, um neurologista de 61 anos, sofreu lacerações profundas na perna e no tronco, mas conseguiu libertar-se ao perfurar o tubarão nas guelras. Ainda está no hospital a recuperar dos graves ferimentos.

Os cientistas alertam para o aumento do número de tubarões desta espécie que se têm estado a dirigir para as águas da baía norte-americana. Os avistamentos de tubarões brancos em Cape Cod dispararam este ano e os especialistas pensam que isso se deve ao aumento dos número de focas perto das praias da região, diz a BBC.

Ler mais

Premium

robótica

Quando os robôs ajudam a aprender Estudo do Meio e Matemática

Os robôs chegaram aos jardins-de-infância e salas de aula de todo o país. Seja no âmbito do projeto de robótica do Ministério da Educação, da iniciativa das autarquias ou de outros programas, já há dezenas de milhares de crianças a aprender os fundamentos básicos da programação e do pensamento computacional em Portugal.

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...

Premium

João César das Neves

Donos de Portugal

A recente polémica dos salários dos professores revela muito do nosso carácter político e cultural. A OCDE, no habitual "Education at a Glance", apresenta comparações de indicadores escolares, incluindo a remuneração dos docentes. O estudo é reservado, mas a sua base de dados é pública e inclui dados espantosos, que o professor Daniel Bessa resumiu no Expresso de dia 15: "Com um salário que é cerca de 40% do finlandês, 45% do francês, 50% do italiano e 60% do espanhol, o português médio paga de impostos tanto como os cidadãos destes países (a taxas de tributação que, portanto, se aproximam do dobro) para que os salários dos seus professores sejam iguais aos praticados nestes países."