Caso de corrupção leva à demissão do Presidente de tribunal de contas

O responsável está a ser acusado no 'caso Lezo', pela sua participação na compra, alegadamente fraudulenta, da companhia Inassa por parte da empresa colombiana Canal de Isabel II, em 2001

O presidente do tribunal de contas da região de Madrid (que fiscaliza o setor público), Arturo Canalda, demitiu-se do seu cargo depois de, na quarta-feira, ter sido citado na qualidade de investigado num caso de corrupção.

O responsável está a ser acusado no 'caso Lezo', pela sua participação na compra, alegadamente fraudulenta, da companhia Inassa por parte da empresa colombiana Canal de Isabel II, em 2001.

A empresa Canal de Isabel II é uma empresa pública espanhola que faz a gestão do ciclo integral da água em quase toda a região de Madrid.

Canalda, que foi diretor da Canal, apresentou hoje a sua renúncia na Assembleia de Madrid, segundo informaram à agência de notícias espanhola EFE fontes do parlamento regional.

Precisamente hoje, foi convocada pela manhã uma reunião do conselho do tribunal de contas da comunidade de Madrid.

O juiz da Audiência Nacional Diego de Egea anunciou, na quarta-feira, cerca de 20 pessoas como investigados no 'caso Lezo', para clarificar as alegadas irregularidades na compra em 2001 da empresa colombiana Inassa por parte da Canal de Isabel II.

Entre as pessoas investigada figuram dois ex-conselheiros do antigo presidente da câmara de Madrid, Alberto Ruiz-Gallardón (Juan Bravo e Pedro Calvo), Canalda, entre outros.

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.