Presidente de Angola estreia-se no Parlamento Europeu

João Lourenço vai ser o primeiro chefe de Estado angolano a discursar em Estrasburgo

O Presidente de Angola, João Lourenço, vai discursar no Parlamento Europeu (PE) na quarta-feira (4 de julho), no mesmo dia em que Mário Centeno, na qualidade de presidente do Eurogrupo, se vai "estrear" no hemiciclo de Estrasburgo.

Na quarta-feira, João Lourenço vai tornar-se no primeiro chefe de Estado angolano a discursar na assembleia europeia, numa intervenção na qual deverá abordar as relações e a cooperação UE-Angola em vários domínios, o desenvolvimento, as migrações e a promoção da estabilidade e da paz no continente africano.

Após a intervenção do Presidente de Angola, marcada para as 12.00 (menos uma hora em Lisboa), será o ministro das Finanças, Mário Centeno, a "estrear-se" em Estrasburgo, enquanto presidente do Eurogrupo, num debate sobre a conclusão do terceiro programa de ajustamento económico para a Grécia, que esteve na agenda dos ministros das Finanças da zona euro no dia 21 de junho.

A reforma da União Económica e Monetária, os próximos passos da União Bancária e a criação de uma capacidade orçamental para a zona euro serão outros dos assuntos em discussão.

A sessão plenária, que decorre entre segunda e quinta-feira em Estrasburgo, vai receber outras 'visitas ilustres', com o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, e o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, a avaliarem os resultados da cimeira europeia, marcada pelas políticas de migração e asilo, num debate que se realiza na terça-feira.

No mesmo dia, o PE vai debater a crise migratória e a situação humanitária na Venezuela e nas suas fronteiras, no seguimento da visita de uma delegação de eurodeputados ao Brasil, liderada pelo eurodeputado português Francisco Assis, e à Colômbia para avaliar as condições no terreno.

Terça-feira é também o dia escolhido para a apresentação das prioridades da presidência rotativa da Áustria do Conselho da UE para este semestre, que incluem a segurança e a luta contra a imigração ilegal, a competitividade na era digital e a estabilidade na vizinhança da UE, em particular nos Balcãs, e para o balanço da presidência cessante, com o primeiro-ministro da Bulgária, Boyko Borissov.

Da agenda do PE consta ainda a decisão sobre a proposta relativa aos direitos de autor. Em 20 de junho, a Comissão dos Assuntos Jurídicos do PE aprovou a alteração legislativa sobre os direitos de autor para Mercado Único Europeu.

Os eurodeputados terão até terça-feira, à meia-noite, para decidir se colocam o assunto na agenda de quinta-feira. Nessa votação, irão decidir se apoiam o mandato de negociação aprovado na comissão parlamentar ou se o rejeitam e votam alterações ao texto na sessão de setembro.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.