Presidente da Catalunha avisa governo que "não se renderá"

Quim Torra pediu ao novo primeiro-ministro espanhol para "assumir riscos, dialogar e negociar"

O presidente do Governo da Catalunha advertiu esta quarta-feira o chefe do executivo espanhol, Pedro Sánchez, que "não pretende render-se" na proposta de independência e o considerou "terrível" a escolha de Josep Borrell como ministro das Relações Exteriores.

No parlamento catalão, Quim Torra apelou a Pedro Sánchez que concorde em ""assumir riscos, dialogar e negociar", deixando claro que a sua condição para falar não pode ser pedir ao movimento de independência que renuncie aos seus objetivos.

"Nós continuamos. A democracia nunca se rende, o desejo de liberdade não se renderá. Nós não viemos aqui para nos render, este não é o ponto de partida para a negociação", afirmou

O presidente da Generalitat considerou ainda que a escolha de Josep Borrel para o cargo de ministro das relações Exteriores é "uma péssima notícia".

Quim Torra salientou que apesar de não ser este o Governo que "legitimamente governou o país e deu voz aos cidadãos", vai trabalhar para respeitar o resultado do referendo.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Crespo

No PSD não há inocentes

Há coisas na vida que custam a ultrapassar. A morte de alguém que nos é querido. Uma separação que nos parece contranatura. Ou uma adição que nos atirou ao charco e da qual demoramos a recuperar. Ao PSD parece terem acontecido as três coisas em simultâneo: a morte - prematura para os sociais democratas - de um governo, imposta pela esquerda; a separação forçada de Pedro Passos Coelho; e uma adição pelo poder que dá a pior das ressacas em política.