Presidente da câmara de Salónica agredido por nacionalistas

Yiannis Boutaris tem 75 anos e foi hospitalizado depois de ter sido agredido por alegados simpatizantes da extrema-direita com lesões na cabeça, costas e pernas

O presidente da câmara de Salónica, a segunda cidade da Grécia, foi hospitalizado depois de ter sido agredido no sábado à noite por presumíveis simpatizantes da extrema-direita, anunciaram responsáveis locais.

Yiannis Boutaris, 75 anos, participava numa cerimónia em memória do massacre de gregos na Turquia durante e após a I Guerra Mundial, quando, ao encaminhar-se para a saída, começou a ser agredido. Teve de ser retirado do local sob proteção policial.

A presidente da assembleia municipal, Calypso Goula, disse que o presidente da câmara sofreu lesões na cabeça, costas e pernas.

"Batiam-me por todo o lado, pontapés, murros, tudo", disse Boutaris à agência ANA.

O presidente da câmara disse ter sido alvo de uma "agressão desprezível", mas assegurou que está "bem".

Imagens difundidas pela televisão grega mostram Boutaris a ser interpelado por pessoas que assistiam à cerimónia e, quando se preparava para partir, foram-lhe lançados objetos e acabou por cair no chão.

Quando a agressão terminou, algumas pessoas tentaram partir os vidros do automóvel em que seguia.

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.