Presidente da África do Sul cancela ida à ONU devido a onda de violência

Centenas de manifestantes reuniram-se esta sexta-feira em Joanesburgo para exigir uma ação governamental mais forte contra os crescentes níveis de violência no país.

O presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa, cancelou a ida ao encontro anual de líderes mundiais das Nações Unidas devido aos problemas que afetam o país, com uma onda de violência de género e xenófoba.

Centenas de manifestantes reuniram-se esta sexta-feira em Joanesburgo para exigir uma ação governamental mais forte contra os crescentes níveis de violência no país. Alguns membros do partido no Congresso Nacional Africano (ANC, na sigla em inglês) estão a pedir ao Governo que declare estado de emergência.

A polícia divulgou esta quinta-feira estatísticas anuais sobre crimes, que revelam que abusos sexuais e violações aumentaram 4,6% e 3,9%, respetivamente, no ano passado.

Mulheres de todo o país têm partilhado experiências de violência e receios nas redes sociais e meiso de comunicação locais.

Estes acontecimentos surgem depois de vários dias de protestos na Cidade do Cabo, na semana passada, após uma série de assassínios de jovens, mulheres e crianças.

Nas últimas semanas, relatos de assassínios de jovens mulheres - incluindo de uma rapariga de 14 anos - encheram as manchetes da imprensa sul-africana.

Em 24 de agosto, uma estudante da Universidade da Cidade do Cabo, Uyinene Mrweyanda, de 19 anos, foi, alegadamente, violada e agredida até à morte por um trabalhador do serviço postal.

Poucos dias depois, em 30 de agosto, a campeã de boxe sul-africana Leighandre "Baby Lee" Jegels, de 25 anos, foi assassinada a tiro pelo namorado, um agente da polícia.

As mortes e a violência levaram mulheres de todo o país a partilharem as suas experiências e receios de serem as próximas vítimas da violência por parte de homens, recorrendo às redes sociais através da 'hashtag' "#AmINext" ("serei a próxima").

A África do Sul é um dos países mais violentos do mundo para as mulheres, registando a quarta maior taxa de mortes por "violência interpessoal", de acordo com o portal de verificação de factos Africa Check.

O mesmo site refere que uma mulher é assassinada a cada três horas na África do Sul.

No ano passado, a África do Sul registou um aumento de 6,9% no número de homicídios, com uma média de 57 por dia.

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.

Premium

Maria do Rosário Pedreira

Os deuses das moscas

Com a idade, tendemos a olhar para o passado em jeito de balanço; mas, curiosamente, arrependemo-nos sobretudo do que não fizemos nem vamos já a tempo de fazer. Cá em casa, tentamos, mesmo assim, combater o vazio mostrando um ao outro o que foi a nossa vida antes de estarmos juntos e revisitando os lugares que nos marcaram. Já fomos, por exemplo, a Macieira de Cambra em busca de uma rapariga com quem o Manel dançara um Verão inteiro (e encontrámo-la, mas era tudo menos uma rapariga); e, mais recentemente, por causa de um casamento no Gerês, fizemos um desvio para eu ir ver o hotel das termas onde ele passava férias com os avós quando era adolescente. Ainda hoje o Manel me fala com saudade daqueles julhos pachorrentos, entre passeios ao rio Homem e jogos de cartas numa varanda larga onde as senhoras inventavam napperons e mexericos, enquanto os maridos, de barrigas fartas de tripas e francesinhas no ano inteiro, tratavam dos intestinos com as águas milagrosas de Caldelas. Nas redondezas, havia, ao que parece, uma imensidão de campos; e, por causa das vacas que ali pastavam, os hóspedes não conseguiam dar descanso aos mata-moscas, ameaçados pelas ferradelas das danadas que, não bastando zumbirem irritantemente, ainda tinham o hábito de pousar onde se sabe.