Apagão. Metade dos argentinos já têm luz

Presidente argentino afirmou que apagão "será investigado a fundo".

O Presidente da Argentina, Maurício Macri, disse este domingo que o apagão elétrico que afetou o país, o Uruguai, o Paraguai e o Brasil é "um caso inédito" que "será investigado a fundo".

"Esta manhã registou-se um enorme corte de energia elétrica em todo o país devido a uma falha no sistema de transporte do litoral (noroeste) cujas causas ainda não podemos precisar. Estamos a trabalhar para que todos possam ter energia o mais rapidamente possível", escreveu o chefe de Estado na rede social Twitter.

Maurício Macri adiantou ainda quecerca de 50% dos consumidores já têm a energia reposta e que "com o decorrer das horas será restabelecida para todos".

Entretanto, o Uruguai está a "recuperar lentamente" a reposição de energia, anunciou a empresa estatal Administração Nacional e Usinas e Transmissões Elétricas (UTE).

Ariel Ferragut, porta-voz da UTE, explicou que "estão a responder lentamente" para repor o serviço em todo o país, acrescentando que ainda são desconhecidos os motivos da avaria, mas que estão a ser investigados.

População da Argentina e do Uruguai corresponde a 48 milhões de pessoas

Uma avaria ainda por identificar deixou este domingo sem energia praticamente todo o território da Argentina e do Uruguai, além de partes do Brasil e do Paraguai, anunciaram as empresas fornecedoras de eletricidade.

O corte registou-se antes do amanhecer em Buenos Aires, cerca das 07:00 locais (11:00 em Lisboa), segundo a imprensa argentina.

A companhia uruguaia UTE anunciou pouco depois que às "07:06 uma avaria na rede argentina atingiu o sistema interconectado, privando do serviço todo o território nacional e várias províncias do país vizinho".

A população da Argentina e do Uruguai juntas eleva-se a cerca de 48 milhões de pessoas.

Exclusivos