Presidente afegão anuncia cessar-fogo com talibãs

Suspensão dos combates de segunda-feira até ao fim do Ramadão, a 20 de junho. Ashraf Ghani diz que combates contra outros grupos vai continuar.

O presidente afegão, Ashraf Ghani, anunciou um cessar-fogo com os insurgentes talibãs desde a próxima segunda-feira até 20 de junho, data que coincide com o fim do Ramadão (o mês sagrado para os muçulmanos). Mas avisou que os combates contra outros grupos, como o Estado Islâmico, vão continuar.

Os talibãs, afastados do poder durante a invasão liderada pelos EUA em 2001, estão a tentar voltar a impor a lei islâmica mais rígida. Não há indicação se o cessar-fogo é recíproco.

"Este cessar-fogo é uma oportunidade para os talibãs interiorizarem que a sua campanha violenta não está a ganhar corações e mentes, mas a aliená-los ainda mais", disse Ghani numa mensagem no Twitter e numa declaração televisiva.

"Com o anúncio de cessar-fogo, reiteramos a força do governo afegão e a vontade do povo para uma resolução pacífica do conflito afegão", acrescentou.

Em fevereiro, Ghani propôs o reconhecimento dos talibã como um grupo político legítimo ao abrigo de um processo de negociação para pôr fim a 16 anos de guerra. Só no ano passado, mais de dez mil civis afegãos morreram ou ficaram feridos por causa deste conflito.

Em agosto, o presidente norte-americano, Donald Trump, reforçou os ataques aéreos no Afeganistão, com o objetivo de obrigar os talibã a negociar.

Ler mais

Exclusivos