Portugueses retirados das ilhas indonésias já estão em Bali

Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas adianta que foi prestado apoio logístico às duas dezenas de cidadãos lusos por parte do encarregado da secção consular da Embaixada de Portugal em Jacarta.

A Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas informou nesta terça-feira, em nota enviada ao DN, que "a retirada das duas dezenas de cidadãos portugueses de Gili e de Lombok ocorreu, como previsto, em embarcações disponibilizadas pelas autoridades indonésias".

Segundo o gabinete governamental, "à chegada a Bali foi prestado apoio logístico a turistas portugueses por parte do encarregado da secção consular da Embaixada de Portugal em Jacarta".

No portal das Comunidades das Portuguesas, é recomendado a "todos os nacionais que estejam ali de passagem ou nas proximidades do epicentro, que sigam as recomendações das autoridades locais e das unidades hoteleiras onde estejam alojados" e que se informem de fontes oficiais, como as contas de Twitter "@infoBMKG e @BNPB_indonesia". "Qualquer viagem planeada para a região deve ter em consideração os constrangimentos inerentes ao ocorrido numa zona de habitual atividade sísmica", pode igualmente ler-se.

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.