Português entre as vítimas mortais em incêndio em Paris

Um cidadão português é uma das três vítimas mortais do incêndio ocorrido no sábado num prédio no centro de Paris, França, disse esta terça-feira à Lusa fonte oficial do Governo.

Uma fonte oficial do gabinete do secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro, indicou que o consulado português na capital francesa "recebeu a família do cidadão falecido e prestou apoio em diversos âmbitos, nomeadamente em reuniões realizadas com as autoridades francesas e com outras entidades", na vertente administrativa da trasladação do corpo para Portugal.

"O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas apresentou condolências à família em nome do Governo por esta trágica ocorrência", adiantou a mesma fonte oficial.

Do incêndio resultaram três mortos e um ferido grave, tendo ainda outras 27 pessoas sido assistidas devido a intoxicação pelo fumo.

O fogo deflagrou na madrugada de sábado num imóvel no centro de Paris, segundo fonte dos bombeiros locais.

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.