Porsche suspende vendas do Panamera devido a risco de acidente

Em causa está uma peça na suspensão traseira que se pode soltar e/ou partir

A Porsche suspendeu as vendas do modelo Panamera, produzido na Europa e vendido nos EUA por ter sido detetado um defeito numa peça na suspensão traseira com probabilidades de se soltar, partir e perturbar o funcionamento da suspensão posterior, o que pode provocar acidentes.

O fabricante de automóveis alemão reconheceu a existência de 715 unidades afetadas do novo Panamera, destinadas aos Estados Unidos e a Porto Rico.

Em causa está um tirante metálico da barra estabilizadora que, estando sujeita a um esforço considerável, tem risco de se partir a qualquer momento. Se assim for, a peça defeituosa pode interferir com as restantes que fazem funcionar o eixo posterior e dar origem a graves consequências.

Para minorar o problema, os concessionários vão proceder à substituição do tirante da barra estabilizadora com defeito, sendo os proprietários avisados para essa necessidade.

A legislação determina a obrigação dos fabricantes em informarem de imediato o mercado e as autoridades sempre que detetem alguma anomalia que comprometa a segurança.

Segundo informação citada pelo Autoevolution, a Porsche vai suspender a comercialização do Panamera até aviso em contrário, sem divulgar o número de unidades com defeito que, apesar de ainda não terem sido comercializadas, encontram-se em stock.

Ler mais

Exclusivos

Premium

robótica

Quando os robôs ajudam a aprender Estudo do Meio e Matemática

Os robôs chegaram aos jardins-de-infância e salas de aula de todo o país. Seja no âmbito do projeto de robótica do Ministério da Educação, da iniciativa das autarquias ou de outros programas, já há dezenas de milhares de crianças a aprender os fundamentos básicos da programação e do pensamento computacional em Portugal.

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...