Pompeo confirma: EUA sai do acordo de armas nucleares com a Rússia

O secretário de Estado Mike Pompeo anunciou a decisão, dando cumprimento à ameaça de Donald Trump.

Os Estados Unidos suspenderam o Tratado das Forças Nucleares de Alcance Intermédio, de 1987, um dos últimos grandes tratados de controlo do armamento nuclear com a Rússia, na sequência de conversações falhadas entre as duas potências.

Na prática, e se Moscovo não aceder às exigências de Washington, o tratado deixa de vigorar dentro de seis meses.

O secretário de Estado Mike Pompeo anunciou a decisão na sexta-feira, uma vez que o governo russo continua sem admitir que violou os termos do tratado ao desenvolver e implantar um sistema de mísseis perto das fronteiras europeias.

Pompeo e a sua equipa insistiram para que Moscovo destruísse o sistema de mísseis 9M729. No entanto, o governo russo do presidente Vladimir Putin contra-acusou os Estados Unidos de violarem os termos do tratado devido à forma como instalaram plataformas de lançamento de sistemas de mísseis antibalísticos na Europa.

No dia 4 de dezembro Washington emitiu um ultimato de 60 dias à Rússia para voltar a cumprir os termos do tratado.

O Tratado das Forças Nucleares de Alcance Intermédio, assinado por Ronald Reagan e Mikhail Gorbachev, baniu os mísseis nucleares com um alcance de 500 a 5500 quilómetros.

John Bolton, o conselheiro da Segurança Nacional de Trump, tem insistido com o presidente para que os Estados Unidos dêem este passo.

Em comunicado, a NATO demonstrou "total apoio" à medida norte-americana. "Os Estados Unidos estão a tomar esta acção em resposta aos riscos significativos para a segurança euro-atlântica colocados pelos ensaios secretos, produção e colocação em campo, por parte da Rússia, do sistema de mísseis de cruzeiro do 9M729 lançados no solo."

Ler mais

Exclusivos