Polícia realiza buscas a empresários ligados a Zuma

Um de três irmãos da família Gupta, ligados ao presidente, terá sido detido.

Uma unidade de elite da polícia da África do Sul realizou hoje buscas à casa de família do grupo empresarial Gupta, em Joanesburgo, no quadro das investigações sobre tráfico de influências que atingem a cúpula do Estado sul-africano.

"A operação está ligada" ao escândalo "Captura do Estado, nome do caso de corrupção em que se encontra implicado o presidente Jacob Zuma, disse à agência AFP Hanqwani Mulaudzi, porta-voz da polícia.

Pouco depois das 08:00 (06:00 em Lisboa) um veículo civil escoltado por carros da polícia abandonou a propriedade da família Gupta. Três pessoas foram detidas até agora, incluindo um dos irmãos, segundo um comunicado da polícia.

Estas buscas acontecem numa altura em se espera uma decisão de Zuma sobre o eventual afastamento do cargo de chefe de Estado.

O país enfrente uma crise política devido aos casos de alegada corrupção que envolvem o presidente.

O Congresso Nacional Africano (ANC), partido no poder, determinou que Zuma deve abandonar o poder, aguardando uma decisão oficial.

Ler mais

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

Diário de Notícias

A ditadura em Espanha

A manchete deste dia 19 de setembro de 1923 fazia-se de notícias do país vizinho: a ditadura em Espanha. "Primo de Rivera propõe-se governar três meses", noticiava o DN, acrescentando que, "findo esse prazo, verá se a opinião pública o anima a organizar ministério constitucional". Explicava este jornal então que "o partido conservador condena o movimento e protesta contra as acusações que lhe são feitas pelo ditador".