Polícia norte-americana procura suspeito de assassinar médico de George HW Bush

Joseph Pappas terá agido por vingança, devido à morte da sua mãe na mesa de operações de Mark Hausknecht há mais de vinte anos

As autoridades norte-americanas procuram um homem suspeito de assassinar o médico de George HW Bush. Joseph James Pappas, de 62 anos, terá agido por vingança, uma vez que há mais de 20 anos perdeu a sua mãe na mesa de operações de Mark Hausknecht.

"Ele planeou muito o ato", disse o chefe da polícia de Houston, Art Acevedo, numa conferência de imprensa a propósito do ataque contra o médico, no passado dia 20 de julho.

Hausknecht estava a dirigir-se para o seu local de trabalho, no Hospital Metodista de Houston, quando foi baleado. Joseph Pappas ter-se-á cruzado com o médico antes de se virar e disparar.

A casa do atirador foi alvo de buscas na madrugada da última quarta-feira e foram encontradas provas que ligam ao crime. Pappas recusou-se a colaborar na investigação e, antes do assassinato, terá enviado uma mensagem a informar que se ia suicidar.

De acordo com o seu vizinho Jim Herd, Pappas era um homem solitário e frequentava a mesma escola e igreja que o médico. O atirador herdou a casa do seu pai, que morreu há dez anos, e terá cortado a relva uma semana antes do ato.

Hausknecht era descrito como um homem humilde e generoso, a quem os pacientes tinham uma grande estima. Tinha preocupações com o meio ambiente e fazia voluntariado em prol da comunidade. A distância de 3,2 quilómetros entre a sua residência e o seu local de trabalho era todas as manhãs percorrida de bicicleta.

Tornou-se conhecido em 2000 após tratar da taquicardia (batimento cardíaco irregular) de George W. Bush, depois de o ex-presidente dos EUA se queixar de tonturas.

Ler mais

Exclusivos