Polícia investiga novas acusações de assédio sexual contra Kevin Spacey

Três homens britânicos acusam o ator norte-americano de crimes de assédio sexual, cometidos entre 1996 e 2013. Atualmente, a Scotland Yard está a investigar seis crimes de cariz sexual que envolvem Kevin Spacey

As autoridades britânicas estão a investigar novas acusações de assédio sexual contra Kevin Spacey, que terão sido cometidos entre 1996 e 2013. Entre fevereiro e abril desde ano, a Scotland Yard recebeu alegações de que o ator norte-americano, de 58 anos, terá assediado três homens britânicos.

De acordo com o The Guardian , as denúncias referem-se a alegados crimes de abuso sexual que terão ocorrido em Westminster (Londres), em 1996, em Lambeth, em 2008, e em Gloucester, em 2013.

O ator, galardoado com dois Óscares pelos filmes "Beleza Americana" (melhor ator) e "Os Suspeitos do Costume" (melhor ator secundário), foi diretor artístico do teatro Old Vic, em Londres, entre 2004 e 2015.

O ator Guy Pearce assumiu ter sido alvo de assédio sexual por parte de Kevin Spacey. "É um tipo que gosta de usar as mãos. Não tanto como eu gostaria", disse

Com estas novas denúncias, o norte-americano está atualmente a ser investigado no Reino Unido por seis crimes de cariz sexual.

Recentemente, também o ator australiano Guy Pearce assumiu ter sido alvo de assédio sexual por parte de Kevin Spacey quando os dois estavam a filmar "L.A. Confidential". Ao programa "Seven", do canal de televisão GWN7, Pearce recordou o período em que trabalhou com o norte-americano. "É um tipo que gosta de usar as mãos. Não tanto como eu gostaria. Felizmente, eu tinha 29 anos e não 14", disse.

Em 2017, o ator Anthony Rapp acusou Spacey de assédio sexual

O escândalo começou quando, em 2017, o ator Anthony Rapp acusou-o de assédio sexual quando tinha 14 anos. Spacey pediu depois desculpa e admitiu ser homossexual. Através do Twitter, o ator disse não se lembrar do episódio, mas falou em "comportamento profundamente inapropriado da embriaguez".

Após este caso, Spacey foi alvo de outras denúncias de assédio sexual por membros da série "House of Cards", da Netflix, que foi depois cancelada.

As acusações contra o norte-americano estão a ser investigadas pelo procurador de Los Angeles, Jackie Lacey.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

João Gobern

Tirar a nódoa

São poucas as "fugas", poucos os desvios à honestidade intelectual que irritem mais do que a apropriação do alheio em conluio com a apresentação do mesmo com outra "assinatura". É vulgarmente referido como plágio e, em muitos casos, serve para disfarçar a preguiça, para fintar a falta de inspiração (ou "bloqueio", se preferirem), para funcionar como via rápida para um destino em que parece não importar o património alheio. No meio jornalístico, tive a sorte de me deparar com poucos casos dessa prática repulsiva - e alguns deles até apresentavam atenuantes profundas. Mas também tive o azar de me cruzar, por alguns meses, tempo ainda assim demasiado, com um diretor que tinha amealhado créditos ao publicar como sua uma tese universitária, revertido para (longo) artigo de jornal. A tese e a história "passaram", o diretor foi ficando. Até hoje, porque muitos desconhecem essa nódoa e outros preferiram olhar para o lado enquanto o promoviam.