Polícia investiga caso de portuguesa espancada e violada em Barcelona

O atacante terá arrancado parte de uma orelha da vítima, que apresentava ainda o lábio aberto, um braço partido e vários hematomas no corpo.

As autoridades espanholas estão a investigar uma possível violação de uma mulher portuguesa de 37 anos que terá sido violentamente agredida, à porta do Museu Marítimo de Barcelona, esta sexta-feira. A vítima residia na cidade espanhola e foi encontrada por funcionários de limpeza ao início da madrugada. De acordo com o jornal La Vanguardia, o autor do crime ainda não foi encontrado.

A polícia espanhola fala numa agressão muito violenta. De acordo com as autoridades, o atacante terá arrancado parte de uma orelha da vítima, que apresentava ainda o lábio aberto, um braço partido e vários hematomas no corpo.

A vítima foi transportada para o Hospital Clínic, em Barcelona, onde está a ser assistida.

Uma testemunha terá dito aos investigadores que viu um casal português a discutir durante a madrugada, naquela mesma rua. A polícia não descarta, assim, o facto de a portuguesa agredida não só conhecer como já ter tido uma relação com o agressor.

A investigação ainda está a decorrer. Contudo, devido ao choque psicológico que a situação provocou, a vítima ainda não se encontra em condições para testemunhar.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".