Polícia impede ataque terrorista na meia-maratona de Berlim

O diário alemão Die Welt informou hoje que a polícia impediu que se concretizasse um ataque terrorista com facas contra participantes e espetadores da meia-maratona de Berlim.

O principal suspeito "planeava matar com facas os participantes e espetadores da meia-maratona de Berlim", escreve o diário alemão, referindo também que "as forças policiais especiais prenderam quatro homens" que estavam ligados à tentativa de ataque.

A agência de notícias alemã DPA informou hoje que a polícia confirmou prisões relacionadas com a meia-maratona, mas não deu mais detalhes sobre o assunto.

De acordo com o Die Welt, o principal suspeito conhecia Anis Amri, o atacante tunisino que matou 12 pessoas e feriu dezenas num mercado de Natal em Berlim, no mês de dezembro de 2016.

O tunisino Anis Amrium era o condutor do camião que atropelou os peões num mercado de Natal em Berlim

O jornal escreve ainda que o suspeito, que não foi identificado, tinha "preparado facas muitíssimo afiadas " para serem usadas na tentativa de ataque.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.