Polícia colombiana faz maior apreensão de cocaína na história do país

A droga pertencia a um grupo criminoso conhecido pelo nome Clan Úsuga, o maior da Colômbia

Pelo menos oito toneladas de cocaína foram hoje aprendidas pela polícia colombiana no noroeste do país, o que constitui a maior quantidade na história do país, disse o presidente colombiano, Juan Manuel Santos.

A droga pertencia a um grupo criminoso conhecido pelo nome Clan Úsuga, o maior da Colômbia, e foi encontrada em Turbo, município do departamento de Antioquia, na região de Urabá, informou o Ministério da Defesa colombiano.

"Felicitamos a Polícia da Colômbia. A operação em Turbo permitiu apreender a maior quantidade de droga na história", disse Santos na sua conta da rede social Twitter.

De acordo com a polícia, os traficantes esconderam a cocaína num depósito subterrâneo (6,5 metros de comprimento, 3,5 metros de largura e 2,5 metros de profundidade), cujo interior estava forrado a madeira e o acesso coberto com uma tampa em cimento.

A operação começou na tarde de sábado e terminou hoje, contando com o apoio da aviação policial, que encontrou o esconderijo. Um grupo de 50 comandos da polícia nacional colombiana, apoiados por helicópteros 'Black Hawk', entrou na quinta e procedeu à apreensão.

A droga pertencia ao "número dois" do Clan Úsuga, Roberto Vargas Gutiérrez, conhecido por "Gavilán". O governo colombiano oferece 500 milhões de pesos (cerca de 150 mil euros) de recompensa pela captura de "Gavilán", indicou o mesmo comunicado.

De acordo com a polícia, a cocaína estava pronta para ser transportada, pelo mar das Caraíbas, para a América Central, de onde deveria seguir, provavelmente, para os Estados Unidos.

Na operação policial foram detidas três pessoas, cujos antecedentes criminais estão a ser averiguados.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).