Primeiro-ministro destaca "contundente" apoio à reforma da lei do aborto

O "sim" à legalização do aborto na Irlanda reuniu 66,40% dos votos. O "não" obteve 33,6% no referendo de sexta-feira

O primeiro-ministro irlandês, o democrata-cristão Leo Varadkar, considerou este sábado que o "contundente" apoio do eleitorado à reforma da lei do aborto no referendo demonstra a "unidade" do país face a um assunto que o dividiu durante décadas.

"O que nós vemos hoje é o culminar de uma revolução tranquila que ocorreu na Irlanda ao longo dos últimos 10 ou 20 anos", declarou Varadkar à cadeia pública RTE, assegurando que as urnas lhe deram um mandato firme para suavizar a legislação vigente, uma das mais duras da Europa.

Leo Varadkar assinalou "o dia memorável" que Irlanda está a viver na rede social Twitter.

Os resultados oficiais do referendo de sexta-feira foram conhecidos ao final da tarde de sábado. O "sim" ganhou com 66,40% dos votos enquanto o "não" reuniu 33,60%.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...