Primeiro-ministro destaca "contundente" apoio à reforma da lei do aborto

O "sim" à legalização do aborto na Irlanda reuniu 66,40% dos votos. O "não" obteve 33,6% no referendo de sexta-feira

O primeiro-ministro irlandês, o democrata-cristão Leo Varadkar, considerou este sábado que o "contundente" apoio do eleitorado à reforma da lei do aborto no referendo demonstra a "unidade" do país face a um assunto que o dividiu durante décadas.

"O que nós vemos hoje é o culminar de uma revolução tranquila que ocorreu na Irlanda ao longo dos últimos 10 ou 20 anos", declarou Varadkar à cadeia pública RTE, assegurando que as urnas lhe deram um mandato firme para suavizar a legislação vigente, uma das mais duras da Europa.

Leo Varadkar assinalou "o dia memorável" que Irlanda está a viver na rede social Twitter.

Os resultados oficiais do referendo de sexta-feira foram conhecidos ao final da tarde de sábado. O "sim" ganhou com 66,40% dos votos enquanto o "não" reuniu 33,60%.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

O Banco de Portugal está preso a uma história que tem de reconhecer para mudar

Tem custado ao Banco de Portugal adaptar-se ao quadro institucional decorrente da criação do euro. A melhor prova disso é a fraca capacidade de intervir no ordenamento do sistema bancário nacional. As necessárias decisões acontecem quase sempre tarde, de forma pouco consistente e com escasso escrutínio público. Como se pode alterar esta situação, dentro dos limites impostos pelas regras da zona euro, em que os bancos centrais nacionais respondem sobretudo ao BCE? A resposta é difícil, mas ajuda compreender e reconhecer melhor o problema.