Pirata informático que denunciou Bradley Manning morreu

Adrian Lamo tinha 37 anos

O pirata informático que denunciou Bradley Manning, o antigo analista do Exército americano no Iraque que passou informação ao Wikileaks, morreu aos 37 anos. A informação foi confirmada pelo pai e pelo médico legista, mas desconhece-se a causa da morte.

Adrian Lamo cruzou-se, via online, com Bradley Manning - agora Chelsea Maning - em 2010 e este gabou-se de ter tido acesso a documentos que iriam causar um "ataque cardíaco a diplomatas de todo o mundo". Disse-lhe ainda que tinha passado todas as informações ao líder da WikiLeaks, Julian Assange.

O pirata informático acabou por denunciar Manning às autoridades, o qual acabou por ser condenado a 35 anos de prisão, pena que foi entretanto comutada pelo ex-presidente norte-americano Barack Obama. Assim, em vez de ser libertada apenas em 2045, Chelsea Manning saiu da prisão em maio do ano passado.

Chelsea Manning, conhecida como Bradley Manning antes da mudança de sexo, tentou suicidar-se duas vezes em 2016 na prisão masculina militar de Fort Leavenworth, Kansas.

Ler mais

Exclusivos