Piloto da Ryanair encontrado morto junto a aeroporto de Málaga

Comandante de 45 anos estava há 10 ao serviço da companhia irlandesa. Foi encontrado no interior de uma viatura e as autoridades espanholas apontam para suicídio

Tudo aponta para que a causa da morte de Jouke Shrale, piloto da Ryanair encontrado morto no interior de um automóvel, seja o suicídio. O corpo estava na viatura estacionada na área de pessoal do aeroporto de Málaga-Costa del Sol, tendo sido detetado, no dia 3 de agosto, por funcionários do aeroporto.

O incidente ocorreu dias após as paralisações convocadas pelos sindicatos de tripulantes de cabina e uma semana antes da greve de pilotos da Ryanair na Irlanda, Suécia, Bélgica e Alemanha. Bombeiros e polícia foram chamados ao aeroporto de Málaga, com todas as hipóteses a estarem em aberto nessa altura. As investigações entretanto realizadas pelas autoridades espanholas indicam que se tratou de suicídio, noticia hoje o El Mundo.

Shrale tinha 45 anos, com 10 ao serviço da companhia irlandesa. De acordo com fontes citadas pelo jornal inglês The Sun, "nunca em 15 anos de serviço havia perdido ou chegado atrasado a um voo". Terá sido por isso que "quando o piloto não compareceu para um de seus voos, de Málaga para Bruxelas" se temeu logo que algo de mal tivesse acontecido. O jornal também cita um porta-voz da Ryanair a garantir que na companhia estão todos "muito tristes com a morte súbita do comandante Jouke Schrale e os seus colegas em Málaga estão em choque com esta tragédia". A Ryanair promete todo o apoio à família.

Ler mais

Exclusivos