Pentágono publica 198 fotos de torturas a detidos

As imagens mostram os abusos e maus tratos a prisioneiros no Iraque e Afeganistão durante a administração de George W. Bush.

O escândalo surgiu em 2004, quando várias fotos foram divulgadas mostrando soldados norte-americanos a torturar e humilhar sexualmente prisioneiros em Abu Ghraib, no Iraque.

As 198 fotografias tornadas públicas esta sexta-feira vêm confirmar a má conduta de funcionários do exército norte-americano, mas segundo o pentágono nenhuma das imagens envolve prisioneiros de Abu Ghraib ou de suspeitos de terrorismo em Guantánamo.

O Pentágono foi forçado a publicar as fotos depois de uma longa batalha judicial com a União Americana das Liberdades Civis (ACLU). A organização, que numa ação judicial exigiu a divulgação de 2000 fotografias omitidas pelo Departamento de Defesa, promete continuar a lutar pela divulgação das restantes 1800 imagens.

.Jameel Jaffer, diretor adjunto para as questões legais, diz num comunicado que as imagens "são a melhor prova dos abusos que ocorrem nos centros militares de detenção".

O comandante Gary Ross, porta-voz do Departamento de Defesa dos EUA, explicou à CNN que as fotos publicadas, "vêm de uma investigação criminal independente feita aos alegados erros de conduta de funcionários do exército dos EUA". Das 56 denúncias de maus tratos apenas 14 foram consideradas sustentáveis. No total, 65 membros do exército norte-americano foram alvo de ação disciplinar, que variou entre meras cartas de reprimenda a, nos casos mais graves, sentenças de prisão perpétua.

O Pentágono não revelou se algumas das fotos estavam associadas aos casos investigados.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).