Bombista suicida mata oito pessoas em reunião religiosa em Cabul

No encontro, o conselho tinha declarado que "os ataques suicidas são considerados 'haram': proibidos de acordo com as leis islâmicas".

Pelo menos oito pessoas morreram num atentado suicida que atingiu hoje um centro religioso na capital do Afeganistão. A explosão ocorreu após um encontro em que os ataques suicidas foram considerados haram, atos considerados proibidos por Alá.

Ghafor Aziz, chefe do 5.º Distrito da Polícia de Cabul, disse à agência Associated Press que a explosão foi provocada por um bombista suicida e atingiu o acesso principal das instalações do Conselho de Ulemas Afegão, um centro religioso na capital do Afeganistão.

Até ao momento o atentado ainda não foi reivindicado. Mas reforça o sentimento de deterioração de segurança no caminho para as eleições parlamentares e distritais, previstas para 20 de outubro.

Cerca de dois mil membros do concelho de Ulemas encontravam-se reunidos nas instalações para a Loya Jirga (grande conselho), onde tinha sido montada uma tenda tradicional para a habitual reunião de anciãos.

Antes do atentado, o conselho tinha declarado que "os ataques suicidas são considerados 'haram': proibidos de acordo com as leis islâmicas". Segundo a Reuters, planeavam emitir uma fatwa (decisão religiosa) a exigir aos talibãs que restaurem a paz, permitindo a saída das tropas estrangeiras do país.

O atentado surpreendeu os participantes, no final da reunião, no momento em que se preparavam para abandonar o local.

"Houve pânico após a explosão", disse um responsável de segurança à Reuters, avisando que o balanço de mortos poderá aumentar.

O conselho de Ulemas, inclui imãs, professores e autoridades religiosas e legislativas de todo o país e que se reuniram hoje na capital.

O conselho tinha feito um apelo às forças governamentais afegãs e aos talibãs para terminarem com combates no sentido de alcançarem um cessar-fogo. Os talibãs, derrubados pela invasão liderada pelos EUA em 2001, querem que o Afeganistão regresse a uma lei islâmica mais rigorosa.

Dezenas de pessoas morreram numa série de atentados em Cabul nos últimos meses e as explosões não parecem ter acalmado neste mês sagrado do Ramadão.

Ler mais

Exclusivos

Premium

educação

O que há de fascinante na Matemática que os fez segui-la

Para Henrique e Rafael, os números chegaram antes das letras e, por isso, decidiram que era Matemática que seguiriam na universidade, como alunos do Instituto Superior Técnico de Lisboa. No dia em que milhares de alunos realizam o exame de Matemática A, estes jovens mostram como uma área com tão fracos resultados escolares pode, afinal, ser entusiasmante.