Pelo menos nove mortos na passagem do tufão Rumbia pela China

Foram afetadas mais de 1,7 milhões de pessoas e registadas com perdas económicas na ordem dos 140 milhões de euros

Pelo menos nove pessoas morreram na China, na sequência da passagem do tufão Rumbia, que atingiu o centro e leste do país, onde afetou quase quatro milhões de pessoas e causou prejuízos económicos.

Sete das vítimas mortais foram registadas na cidade de Xuzhou, onde 18 pessoas ficaram feridas. Na mesma área, o tufão destruiu 1.800 casas e 68.000 hectares de terra cultivada.

Na província de Anhui, nove cidades e 33 condados foram também atingidos por fortes chuvas, que causaram pelo menos um morto e 13 feridos, segundo as autoridades locais.

Mais de 1,7 milhão de pessoas e quase 243 hectares de terra cultivada foram afetados em Anhui, fixando as perdas económicas diretas em mais de 1.100 milhões de yuan (140 milhões de euros).

Na província vizinha de Henan, registou-se também um morto, enquanto os prejuízos ascendem a 198 milhões de yuan (25,2 milhões de euros).

Três estações meteorológicas locais registaram precipitações superiores a 500 milímetros, enquanto a precipitação diária bateu recordes em oito estações da província.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

Compreender Marques Mendes

Em Portugal, há recorrentemente espaço televisivo para políticos no activo comentarem notícias generalistas, uma especificidade no mundo desenvolvido. Trata-se de uma original mistura entre comentário político e espaço noticioso. Foquemos o caso mais saliente dos dias que correm para tentar perceber a razão dessa peculiaridade nacional. A conclusão é que ela não decorre da ignorância das audiências, da falta de especialistas sobre os temas comentados, ou da inexistência de jornalistas capazes. A principal razão é que este tipo de comentário serve acima de tudo uma forma de fazer política.