50 mortos em atentado na festa do nascimento de Maomé

Pelo menos 50 pessoas morreram hoje e 80 ficaram feridas num atentado suicida durante uma concentração de religiosos, que celebravam o nascimento do profeta Maomé em Cabul, anunciaram responsáveis.

"A explosão ocorreu no salão Uranus onde estavam reunidos ulemas para celebrar hoje o nascimento do profeta", declarou à agência France-Presse o porta-voz da polícia de Cabul, Basir Mujahid.

O Ministério da Defesa confirmou a informação, sublinhando que "ulemas vindos de todo o país e público participavam na cerimónia" no salão de festas.

O ataque ainda não foi reivindicado, mas quer os talibãs quer o ramo local do grupo extremista Estado Islâmico já escolheram como alvos religiosos muçulmanos alinhados com o governo. Os talibãs, contudo, informaram em comunicado que não estão envolvidos no atentado.

O presidente Ashraf Ghani declarou que o ataque é "não islâmico" e "imperdoável" e declarou um dia de luto nacional.

Apesar dos esforços diplomáticos para acabar com a guerra de 17 anos, nos últimos meses a situação de segurança deteriorou-se acentuadamente. O governo de Cabul controla agora apenas 56% do território afegão, contra 72% em 2015, segundo um relatório dos EUA divulgado neste mês.

Ler mais

Exclusivos