Passageiros revoltam-se contra xenofobia no metro de Madrid

Utentes do metropolitano da capital espanhola contra manifestação de xenofobia de mulher contra mãe e menina.

Uma mulher que seguia na linha 5 do metro de Madrid começou a criticar uma mãe e a filha de cinco anos, ambas estrangeiras, pelo facto de a menina se ter sentado. Mas outros passageiros reagiram ao discurso xenófobo.

"A mãe sentou a menina e então a mulher começou a repreendê-la, tendo dito que não se podia sentar porque não tinha pago", contou ao El País a fotojornalista Iram Martínez, que gravou no telemóvel o incidente.

Martínez conta ainda que a menina se assustou com a vozearia e que, a certa altura, afirmou que os estrangeiros não pagam Segurança Social mas são atendidos com prioridade.

"Nessa altura os passageiros começaram a pedir que se calasse. Gravei tudo porque me pareceu importante ver as reações das outras pessoas", explicou a fotojornalista.

A linha 2 do metro de Madrid encontra-se encerrada, devido a obras, pelo que as restantes linhas que passam pelo centro têm mais passageiros.

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.